TRE proíbe coligação que Braga faz parte de continuar a arrecadação de verba para eleição suplementar

O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) disse não para a coligação partidária interessada em continuar arrecadando verbas para campanha de eleições suplementares a governador, suspensa até esta quinta, dia 6, por liminar de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

A corte foi rápida na resposta à coligação do candidato ao mandato tampão e senador Eduardo Braga (PMDB), que pediu na terça, dia 4, que sua coligação com Marcelo Ramos (PR) continuasse arrecadando recursos para a campanha na chapa, apesar da suspensão.

Braga alegou que a intenção era garantir recursos para pagar despesas assumidas antes da suspensão da eleição, no dia 28 de junho.

“Não tem como atender esse pedido porque, infelizmente, nós não temos autonomia para decidir sobre isso”, disse o presidente do TRE-AM, Yedo Simões, conforme notícia publicada no portal de A Crítica.


Hoje, dia 6, a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, plantonista da corte, se declarou impedida de julgar recurso de Braga contra decisão de Lewandowski, passando o caso para o ministro Celso de Mello.

Relacionados

AMAZONAS 7004510611232465150

Corredores do Poder

+ CORREDORES DO PODER

Instagram

WHATSAPP

WHATSAPP
item
Wordpress