Ricciardo volta a colocar Red Bull na frente e lidera top-6 separado por apenas 0s5 no segundo treino na Hungria

Daniel Ricciardo grande protagonista da sexta-feira (28) de treinos livres do GP da Hungria de F1. O australiano, que já venceu em Hungaroring há três anos, mostrou que os taurinos podem lutar pela vitória contra Mercedes e Ferrari neste domingo. Com uma performance convincente, o piloto repetiu o feito da manhã e também liderou a sessão realizada nesta tarde no circuito magiar, mas não conseguiu quebrar o recorde de Rubens Barrichello, estabelecido em 2004. Ricciardo registrou 1min18s455, contra 1min18s436, a melhor marca da pista na história na configuração atual.


Sebastian Vettel foi melhor em relação à manhã e terminou o dia com o segundo tempo, 0s183 atrás de Ricciardo. Valtteri Bottas completou o top-3 com a Mercedes, seguido por Kimi Räikkönen. Dentre os cinco primeiros, apenas Lewis Hamilton, o quinto, fez seu melhor tempo com pneus macios. Max Verstappen completou o rol dos seis primeiros em uma sessão bastante equilibrada: do primeiro ao sexto, a diferença foi de apenas 0s496.

Nico Hülkenberg voltou a andar bem e foi o sétimo, seguido por Fernando Alonso. Carlos Sainz e Stoffel Vandoorne completaram a lista dos dez primeiros, enquanto Felipe Massa terminou em 15º. E Jolyon Palmer, que fechou logo atrás do brasileiro, bateu novamente, colocando mais pressão às vésperas do teste com Robert Kubica na Renault, na próxima quarta-feira.

A F1 retoma os trabalhos neste sábado com a disputa do terceiro treino livre, às 6h (horário de Brasília), e a definição do grid de largada às 9h.

Saiba como foi o segundo treino livre do GP da Hungria de F1

Com a presença dos titulares Esteban Ocon e Kevin Magnussen nos carros de Force Incia e Haas, respectivamente, o segundo treino livre começou bem mais intenso e com a Ferrari na frente. Com pneus macios, Vettel e Räikkönen se colocaram na ponta nos minutos iniciais dos trabalhos da tarde em Hungaroring. Mas bastou a dupla da Mercedes ganhar a pista para o cenário mudar de figura. Bottas assumiu a liderança com 1min19s546, seguido por Seb e Hamilton em terceiro. Todos com os pneus amarelos.

Mas a Ferrari ficou para trás até da Red Bull nos minutos seguintes. Líder do primeiro treino, Ricciardo chegou a comandar a tabela de tempos e encaixou uma boa sequência de boas voltas, comprovando a força do RB13 em Hungaroring. Hamilton, no entanto, tratou de colocar a Mercedes e volta à ponta ao cravar 1min18s779. Verstappen aparecia em terceiro, com Bottas em quarto e só depois apareceram as Ferrari de Vettel e Räikkönen, com Alonso em um muito bom sétimo lugar.

Logo as equipes começaram a usar os supermacios, e a Ferrari voltou a figurar na frente com Vettel, que marcou 1min18s638 em sua melhor passagem, sendo 0s018 mais rápido que Bottas. Räikkönen subiu para terceiro antes de apresentar problemas no seu carro. Quem também tinha problemas era Massa, que rodava durante uma tentativa de volta rápida, ainda com os pneus macios. Mas a Red Bull mostrava sua força com Ricciardo superando Vettel ao marcar 1min18s455, a então melhor marca do dia. Massa figurava apenas em 15º.

Magnussen era o único dentre os 20 pilotos ainda sem tempo. O dinamarquês seguia nos boxes enquanto a Haas tentava reparar o carro, parcialmente destruído após o acidente de Antonio Giovinazzi pela manhã. Jolyon Palmer, a bordo da Renault, não tinha bom desempenho depois de danificar o bólido no fim do primeiro treino livre e se queixava de falta de equilíbrio: "É como se eu estivesse pilotando em um rali", disse.

Bottas, em terceiro, e Hamilton, em quinto, trabalhavam com pneus supermacios em ritmo de corrida. Até que, quando restavam 38 minutos para o fim da sessão, a bandeira vermelha foi acionada pela primeira vez durante a tarde em razão de uma forte batida na barreira de pneus localizada na curva 11. Apesar da força da batida, Wehrlein desceu do carro normalmente, sem maiores problemas. Apenas seu carro ficou destruído com o impacto.
O treino foi retomado quando restavam 27 minutos para o fim. Neste período até a bandeirada, as equipes buscaram trabalhar mais em ritmo de corrida, de modo que as principais marcas da sessão foram mantidas. Vandoorne enfrentava problemas na sua McLaren e voltava para os boxes. E Palmer dava sequência à zica com mais um problema depois de encostar na área de escape da curva 14, a última da pista, depois de bater a traseira da sua Renault. Nova bandeira vermelha na pista. No pit-wall da equipe, Cyril Abiteboul balançava a cabeça em claro sinal de reprovação.


Com 11 minutos para o fim do treino, a sessão foi retomada, e os pilotos fizeram, em sua maioria, as voltas derradeiras com pneus macios. Ninguém melhorou suas marcas, com Ricciardo sendo confirmado como o mais rápido do dia na Hungria.

Relacionados

ESPORTES 551846892484290029

Corredores do Poder

+ CORREDORES DO PODER

Instagram

WHATSAPP

WHATSAPP
item
Wordpress