Criticar a primeira-dama, Elzabeth Valeiko, parece mais fácil



Todos sabem que o ponto fraco de qualquer administração pública, seja no estado ou município, as primeiras-damas são uma peça fundamental. Onde há o toque feminino e a sensibilidade humanista de um poder. Recentemente, a primeira-dama do município de Manaus Elizabeth Valeiko, vêm sofrendo críticas e opiniões pesadas contra sua conduta e caráter. Essas críticas são um reflexo de uma mídia sexista e machista que não admite que a mulher possa ocupar uma posição de destaque em um governo. 

Valeiko, entrou em um ninho de cobras ao se envolver com política, não é fácil ter uma exposição tão grande e manter uma postura tão serena quanto a sua apresenta diante dos fatos. A verdade, é que explorar a fragilidade da primeira-dama parece ser um bom modo que arrancar go governo bons negócios.

Bagunçando o Amazonas

A revista Veja em sua edição online publicou nesta terça-feira (04) uma nota que afirma que o Ministro do STF, Ricardo Lewandowski estaria bagunçando o Amazonas: 

"O senador Omar Aziz (PSD), o deputado Pauderney Avelino (DEM) e o prefeito de ManausArthur Virgílio (PSDB) vão recorrer da decisão liminar do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), que suspendeu a realização de nova eleição para o governo do Amazonas no próximo mês. Na semana passada, Lewandowski complicou ainda mais o cenário no Estado, que segue sem um governador definitivo desde o ano passado, quando José Melo (Pros) e o vice, Henrique Oliveira (SD), foram cassados pela Justiça Eleitoral por compra de votos. Num despacho tão confuso que precisou ser republicado pelo Supremo, o ministro provocou uma celeuma: suspendeu a eleição, mas manteve a cassação da chapa de Melo. Ou seja: Lewandowski não autorizou Melo a voltar para a cadeira, mas tampouco quer nova eleição direta — que já tem nove candidatos no páreo. O presidente da Assembleia Legislativa, David Almeida (PSD), segue como governador interino."

Nas mãos de Carmen 

Esta nas mãos da Ministra do STF, Carmen Lúcia, Quatro pedidos para que o Amazonas possa realizar, em agosto, eleições diretas para o cargo de governador do Estado. Todos têm caráter liminar, foram apresentados por candidatos ao pleito suspenso e criam a expectativa de que nova decisão sobre as eleições no Amazonas possa sair ainda nesta semana, sendo favorável ou não à eleição direta.

Cármen Lúcia tem três caminhos para os processos sob sua relatoria. Um deles é negar análise no plantão a todos. O outro é analisar e negar os pedidos. E o terceiro é analisar e atender a pedidos, na íntegra ou em parte.

Relacionados

CORREDORES DO PODER 2166767293194372863

Corredores do Poder

+ CORREDORES DO PODER

Instagram

WHATSAPP

WHATSAPP
item
Wordpress