Bendine chega a carceragem da PF em Curitiba

O ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras Aldemir Bendine chegou já está na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, base da Operação Lava Jato.

Ele foi preso na manhã desta quinta-feira, 27, em Sorocaba (SP), na Operação Cobra, 42ª fase da Lava Jato, por suspeita de recebimento de propina de R$ 3 milhões da Odebrecht. Cobra era a alcunha de identificação de Bendine na planilha de propinas da empreiteira.

O ex-BB e Petrobras viajou de carro até Curitiba, escoltado por agentes da Polícia Federal. Ele vai ficar em uma cela da PF por cinco dias – prazo da prisão temporária decretada pelo juiz federal Sérgio Moro.

O MPF afirma que, quando comandava o Banco do Brasil, Bendine pediu R$ 17 milhões à Odebrecht para rolar uma dívida da empresa com a instituição, mas não recebeu o valor. Na véspera de assumir a Petrobras, teria pedido mais R$ 3 milhões para não prejudicar os contratos da estatal com a empreiteira, segundo delação de ex-executivos.

O valor foi pago em 2015, ano em que Bendine era braço direito da então presidente Dilma Rousseff. Ele havia deixado o banco com a missão de acabar com a corrupção na petroleira, alvo da Lava Jato. Mas, segundo delatores da Odebrecht, Bendine já cobrava propina no Banco do Brasil e continuou cobrando na Petrobras.


Segundo as investigações, Bendine usava o nome de Dilma em negociações, mas a polícia não encontrou nenhum indício de envolvimento da ex-presidente nesse esquema.

Relacionados

POLÍTICA 6449025729215640796

Corredores do Poder

+ CORREDORES DO PODER

Instagram

WHATSAPP

WHATSAPP
item
Wordpress