Wilker Barreto reconhece que foi descortês com vereadora Joana D´Arc

O presidente da CMM (Câmara Municipal de Manaus), vereador Wilker Barreto (PHS), reconheceu, na manhã desta segunda-feira, 5, que foi descortês com a vereadora Joana D´Arc (PR) no episódio em que negou questão de ordem à parlamentar, durante sessão plenária da última terça-feira, 30. “Vereadora.

Joana, eu peço até data venha um pouco de desculpa, porque fui um pouco rude com vossa excelência porque eu queria fazer cumprir o regimento, o clima já estava exaltado, faz parte do parlamento”, declarou o vereador. O gesto de Wilker se deu no änal da sessão desta terça durante discussão para aprovação do requerimento nº 1861/2017 de autoria do próprio presidente em que pede que a Comissão de Ética da CMM apure suposta prática de assédio moral e psicológico por parte de Wilker à vereadora Joana D´Arc. Durante a votação, vários vereadores demonstraram apoio às investigações da Comissão de Ética.

 O documento foi aprovado por 32 vereadores dos 35 presentes. Somente os parlamentares Chico Preto (PR), Plínio Valério (PSDB), William Abreu (PR) votaram contra o requerimento. “Nunca cerceei o exercício de um mandato de um parlamentar. Já participei de debates acirrados aqui. Se tem uma coisa que eu prezo é o direito do exercício sagrado do mandato desta casa.

 Assédio e cerceamento do mandato, isso eu nunca pratiquei, por isso peço que a Comissão de Ética investigue os meus atos na condução de todas as sessões deste ano”, frisou Wilker, que fez questão também de assegurar que os trabalhos da Casa transcorrerão com normalidade e que a CMM dará todas as condições necessárias para que a Comissão conclua as investigações com transparência, seriedade e tranquilidade.

Relacionados

POLÍTICA 2701120802459757726

Corredores do Poder

+ CORREDORES DO PODER

Instagram

WHATSAPP

WHATSAPP
item
Wordpress