Quase 3 milhões em multas aos rodoviários aguardam julgamento no TRT, segundo Sinetram

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), informou na manhã desta segunda-feira (26), que cerca de R$ 3 milhões em multas, em punição ao Sindicato dos Rodoviários, estão sob juízo no Tribunal Regional do Trabalho (TRT 11ª Região). De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus Givancir Oliveira, a entidade pagou cerca de R$ 600 mil em multas nos últimos anos e não tem condições financeiras de arcar com as punições financeiras da paralisação desta segunda-feira.

Segundo o Sinetram, essa foi a 43ª vez que os rodoviários paralisaram atividades neste ano e os sindicalistas podem ser multados em R$ 100 mil por hora de paralisação.

Ainda de acordo com o presidente, a entidade vai entrar com recurso contra as multas impostas hoje, cerca de 400 mil. “Queremos que o tribunal mude o posicionamento, por que não multar os dois sindicatos, os rodoviários e o Sinetram, para forçar um acordo? Do jeito que está, o Sinetram fica à vontade, porque o peso só cai em cima dos rodoviários”, afirmou Givancir. “Eles não querem ir para Justiça e nem dar reajuste”.

Já o assessor jurídico do Sinetram, Fernando Borges, informou que a categoria reivindica reajuste de 15%, adicional de insalubridade e participação nos lucros. “O sistema não tem como absorver isso, sem um impacto tarifário e aí depende do pronunciamento da Prefeitura. O reajuste da tarifa que houve contempla esse salário que está aí, que está sendo pago em dia hoje no valor de R$3.071 para o motorista”, disse

Pedido de prisão

A Defensoria Pública do Estado (DPE)  informou que o pedido de habilitação do pedido de dissídio coletivo, com a solicitação que o pedido de prisão seja implementado, conforme o defensor de interesses coletivos da DPE, Carlos Almeida, foi protocolado no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) nesta manhã, 26.

“A greve encerrada ou não o pedido continua e a justiça vai ter que apreciar se concede ou não. A medida inclusive é cautelatória para que não aconteça novamente, porque a gente não sabe o que vai acontecer amanhã”, disse o defensor, complementando que o pedido deve ser indeferido pelo judiciário trabalhista. “Eu acho muito difícil isso”.

O resultado do pedido de prisão ainda não foi divulgado pelo TRT, até a manhã desta segunda-feira.

Paralisação

Após mais de cinco horas de paralisação em 100% do transporte público de Manaus, os ônibus voltaram a circular na manhã desta segunda. Segundo Givancir os trabalhadores atenderam a um pedido do prefeito Arthur Neto. ‘Suspendemos a paralisação a pedido do prefeito’, disse.

Mais de 400 mil pessoas foram prejudicadas pela paralisação que impediu que mais de três mil viagens fossem realizadas, segundo o Sinetram.


Em nota, Arthur Neto disse que convocou os rodoviários para uma rodada de negociação na tarde desta segunda-feira (26), na sede da Prefeitura. O prefeito, no entanto, colocou como condição, o retorno imediato dos rodoviários ao trabalho.

Relacionados

DESTAQUES 5604680591858379600

Corredores do Poder

+ CORREDORES DO PODER

Instagram

WHATSAPP

WHATSAPP
item
Wordpress