Manaus atinge a meta da Campanha de Vacinação contra a gripe

Manaus ultrapassou a meta estipulada pelo Ministério da Saúde de vacinar 90% do grupo prioritário, alcançando 97,91% das pessoas incluídas no público-alvo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) orienta que os pais que ainda não levaram as crianças de seis meses a menores de cinco anos às unidades de saúde e, ainda, as gestantes não vacinadas, procurem uma das 182 salas de vacina, até o dia 9 de junho, quando a campanha será encerrada na capital.

“O vírus influenza está relacionado a uma série de complicações, como pneumonia e doenças cardíacas. Então, os pais não devem deixar de proteger seus filhos contra essas doenças, assim como as grávidas. Ao tomar a vacina, diminuem os quadros mais graves relacionados com internações e morte”, ressaltou o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, acrescentando que a vacinação dos grupos prioritários diminui a circulação do agente infeccioso e evita que ele seja transmitido para as pessoas ao redor. “Portanto, quem ainda não se vacinou, deve procurar a unidade de saúde mais próxima de casa”, alertou.

Magaldi destacou que a vacinação em Manaus teve que ser prorrogada até o dia 9 de junho porque a capital começou a campanha uma semana mais tarde, devido à logística de distribuição de vacinas feita pelo Ministério da Saúde. “Enquanto em todo o Brasil a vacinação começou no dia 17 de abril, em Manaus ela só teve início no dia 24 de abril porque ainda não tínhamos recebido as doses da vacina. Mas até o final da campanha, tenho certeza que ultrapassaremos os 100%, porque Manaus tem a tradição de sempre atingir a meta, conforme determinação do prefeito Arthur Neto”, afirmou.

Quem trabalha fora e não tem tempo de tomar a vacina e nem de levar os filhos ou familiares, pode procurar uma das dez unidades de saúde de horário ampliado, que funcionam de segunda a sexta, das 7h às 21h, e aos sábados das 7h às 12h.

Devem se vacinar os idosos com 60 anos ou mais de idade, trabalhadores de saúde, os povos indígenas (aldeados e assistidos pela Sesai), as crianças na faixa-etária de seis meses a menores de cinco anos de idade (quatro anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional e professores das escolas públicas e privadas.

Vale ressaltar que portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais deverão apresentar o laudo médico, receita, carteirinhas dos programas de saúde, prescrição médica ou outro documento que comprove a sua condição clínica para receber o imunobiológico, assim como, os professores também deverão apresentar documentos (crachá, contracheque ou outro documento) que comprove a profissão.

Semsa aguarda anúncio de liberação
Nesta sexta-feira, 2/6, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, informou que a vacina contra a gripe será liberada para toda a população, e não só para grupos prioritários, a partir de segunda-feira, 5. O anúncio foi feito em Maringá, no Norte do Paraná. De acordo com Barros, ainda restam dez milhões de doses de vacina contra a gripe em todo o país.

Segundo a chefe de Imunização da Semsa, Isabel Hernandes, a Semsa ainda não recebeu comunicado oficial do Ministério da Saúde para vacinar toda a população. “Vamos aguardar o direcionamento do Programa Nacional de Imunização”, declarou.

Produção da vacina
A vacina contra a Influenza é produzida anualmente de acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) que consideram os subtipos do vírus em circulação. Este ano, sua composição visa proteger contra os subtipos A/H1N1, A/H3N2 e influenza B.

Aplicada em dose única, a vacina é contraindicada para os que têm alergia grave ao ovo de galinha e para quem já manifestou alguma reação anafilática a doses anteriores.

Já os portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais precisam de laudo médico ou outro documento que comprove condições clínicas para a imunização. Os acamados terão atendimento domiciliar até o encerramento da campanha.

A influenza é considerada um problema de saúde pública no Brasil e pode levar a complicações graves ou à morte, principalmente nos grupos de alto risco para as complicações da infecção viral (crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).

A transmissão dos vírus influenza se dá pelo contato com secreções das vias respiratórias eliminadas na fala, tosse ou espirro (transmissão direta) ou através das mãos ou de objetos contaminados (transmissão indireta), em contato com a boca, os olhos ou o nariz.

UBSs de horário ampliado
Distrito Leste
UBS Leonor Brilhante – Rua Autaz Mirim, s/n – Tancredo Neves;
UBS Alfredo Campos – Rua André Araújo, s/n – Zumbi II;
UBS José Amazonas Palhano – Rua Antonio Matias.

Distrito Norte    
UBS Augias Gadelha – Rua A, n º 15 – Cidade Nova I;
USA Sálvio Belota – Rua das Samambaias, nº 786 – Santa Etelvina;
USA Balbina Mestrinho – Rua 17, nº. 170 – Cidade Nova (Núcleo III).

Distrito Sul               
UBS DRº José Rayol – Av. Constantino Nery, s/n-Conjunto Chapada/Flores;
UBS Morro da Liberdade – Rua São Benedito, s/n-Morro da Liberdade.

Distrito Oeste
UBS Leonor de Freitas – Av. Brasil, s/n- Compensa II;
UBS Deodato de Miranda Leão – Av. Presidente Dutra, s/n – Glória.

Relacionados

DESTAQUES 5218250352069986512

Corredores do Poder

+ CORREDORES DO PODER

Instagram

WHATSAPP

WHATSAPP
item
Wordpress