Policiais do Denarc encontram 56 kg de cocaína avaliados em R$ 600 mil em carro abandonado no bairro Flores

As equipes do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc), sob o comando do delegado Paulo Mavignier, diretor da unidade policial, apreendeu na tarde de quinta-feira, dia 11, por volta das 16h, 26 tabletes de cocaína em pedra, totalizando 56 quilos da substância ilícita, avaliados em torno de R$ 600 mil.


De acordo com o diretor do Denarc, a droga foi encontrada no interior de um veículo modelo S10, de cor branca e placas OAC – 5568, que estava estacionado em um condomínio localizado no bairro Flores, zona Centro-Sul da capital.

“Chegamos ao local após recebermos delações, feitas ao disque-denúncia do Denarc (92) 99415-0129, informando que havia um carro estacionado no interior do condomínio, em uma vaga de um apartamento localizado no bloco B12, com tabletes espalhados pelos bancos do automóvel”, explicou Mavignier.

Em revista ao interior do veículo a equipe do departamento  constatou a veracidade da denúncia e verificou que a vaga pertencia ao apartamento de propriedade de uma mulher de 55 anos, irmã de Pedro Paulo Militão Garcia, 32, conhecido como “Paulinho Paraibano”, preso por policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) com 50 quilos de maconha do tipo skunk. O fato ocorreu no início deste mês de maio.

“Entramos em contato com a dona do apartamento por meio de ligação telefônica. A mulher nos informou que não morava no local e que o imóvel era usado pelo irmão dela. Ela argumentou, ainda, que não tinha conhecimento de que o espaço era usado como depósito de drogas. Acompanhados da síndica do condomínio, realizamos revista no interior do imóvel, onde achamos, em um dos cômodos, documentos pessoais da mulher, fotografias que comprovaram o grau de parentesco com “Paulinho Paraibano”, além de um tablete de cocaína”, declarou o diretor do Denarc.

A droga apreendida foi transportada para a base do Denarc, juntamente com os documentos e fotos encontradas no apartamento. Após os procedimentos cabíveis no departamento, a cocaína será levada para o Instituto de Criminalística (IC) da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), onde será periciada. A dona do apartamento não foi presa porque ficou comprovado que o imóvel era utilizado pelo irmão dela para armazenar a substância ilícita.



FOTOS: Erlon Rodrigues / Assessoria de Imprensa da PC-AM

Relacionados

AMAZONAS 8588006324962481977

Corredores do Poder

+ CORREDORES DO PODER

Instagram

WHATSAPP

WHATSAPP
item
Wordpress