Gilmar Mendes nega pedido de eleição indireta no Amazonas



O ministro Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral decidiu na última sexta-feira (19) encaminhar o mandado de segurança com pedido de liminar impetrado pelo deputado estadual Abdala Fraxe (PTN), presidente da Assembleia Legislativa Estado do Amazonas que tenta de impedir a realização da eleição suplementar direta para o governo para a ministra Rosa Weber.
Em seu despacho Gilmar Mendes diz que: “a ocasião do julgamento do feito, a sessão foi presidida pela ministra Rosa Weber, tendo em vista o meu impedimento para o julgamento da causa e a alegação de suspeição pelo ministro Luiz Fux, vice-presidente”.
Os autos foram parar nas mãos de Gilmar Mendes depois que o ministro Napoleão Nunes Maia Filho, determinou a redistribuição na quarta-feira, dia 17, afirmando que como foi voto vencido no julgamento do dia 4 deste mês quando o Pleno do TSE por 5 a 2 cassou por compra de votos o governador José Melo resolveu encaminhar o mandado de segurança ao presidente para que tome as providências que julgar necessárias.
Abdala Fraxe, tenta no TSE impedir que a eleição seja direta, quando o povo vai às urnas para votar. O parlamentar é favor defende que a eleição suplementar indireta, quando apenas os 24 deputados votam. O Tribunal Superior Eleitoral, ao cassar o mandato do governador José Melo e Henrique Oliveira decidiu que as eleições devem ser diretas e que cabe aos eleitores do Amazonas a decisão de quem deve suceder o governador cassado.

Relacionados

POLÍTICA 6860444815849216793

Corredores do Poder

+ CORREDORES DO PODER

Instagram

WHATSAPP

WHATSAPP
item
Wordpress