Pedro Florêncio, principal responsável pelo genocídio nos presídios do Amazonas é exonerado, falta o Dr. Sérgio Fontes


Pedro Florêncio estava no cargo desde setembro de 2015.Foto: Divulgação/ Secom

Manaus - Após admitir que sua 'estratégia' de gestão fracassou, o secretário de Administração Penitenciária (Seap) Pedro Florêncio foi exonerado do cargo nesta sexta-feira (13). A informação foi confirmada pela Secretaria de Comunicação do Estado (Secom). O tenente-coronel Cleitman Rabelo assume a pasta.
Florêncio deixa o cargo após a crise no sistema prisional, que se iniciou no dia 1º com a rebelião que deixou 56 mortos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e a fuga de 225 detentos. 
Florêncio, que estava no cargo desde setembro de 2015, reconheceu, em entrevista à BBC Brasil, que sua estratégia “fracassou” diante de massacres que deixaram 64 mortos em cadeias do Estado apenas em 2017. E diz que não deixou o cargo somente porque o governador José Melo (PROS) não aceitou sua demissão.
“Não fui embora porque o governador não aceitou minha demissão. Alguém tinha que assumir (a responsabilidade pelas mortes) e minha estratégia de trabalho se mostrou fracassada, precisa substituir. Mas o governador não pôde fazer (a demissão)”, afirmou, sem dar detalhes.

Relacionados

POLÍTICA 5956131901882412551

Corredores do Poder

+ CORREDORES DO PODER

Instagram

WHATSAPP

WHATSAPP

Publicidade

Publicidade
item
Wordpress