Mesmo nocauteada, Ronda ganha R$ 200 mil por segundo, 15 vezes mais que Amanda

Foram apenas 48 segundos de ação na última sexta-feira, mas foi o suficiente para Ronda Rousey embolsar nada menos que US$ 3 milhões (R$ 9,8 milhões na cotação atual). Mesmo massacrada, ela ganhou nada menos que 15 vezes mais que a algoz Amanda Nunes.
O valor astronômico já era esperado por toda a comoção em torno do retorno de Ronda e a coloca no maior patamar financeiro do UFC. Afinal de contas, os US$ 3 milhões representam a maior bolsa paga na história da organização, igualando o valor que Conor McGregor embolsou em novembro para derrotar Eddie Alvarez.
Para Rousey, porém, o valor é uma extrema novidade. Tanto é que, em uma só luta, ela praticamente triplica o que havia ganhado em suas sete aparições anteriores. E salta da 65ª para a 9ª posição na lista de ganhos na história do UFC.
E a estrela da organização ainda ganhou mais US$ 30 mil (R$ 98 mil) da Rebook, a fornecedora oficial de uniformes da organização.
Amanda Nunes, por sua vez, ganhou muito menos: US$ 200 mil dólares (R$ 654 mil). E esse valor ainda inclui o bônus de US$ 100 mil (R$ 326 mil) pela vitória.
Ou seja: no fim, a campeã ganhou 15 vezes a menos que a desafiante. E, se consideramos apenas os valores garantidos (desconsiderando o bônus pela vitória), o salário fixo era 30 vezes menor.
Amanda pelo menos pôde somar mais US$ 40 mil (R$ 130 mil) da Reebok e mais US$ 50 mil (R$ 163 mil) como prêmio por um dos melhores desempenhos da noite.
Mas o salto financeiro não foi tão grande assim na primeira defesa de cinturão. Afinal de contas, Amanda também embolsou US$ 100 mil na luta em que bateu Miesha Tate para se tornar campeã. A diferença é que, naquela ocasião, ela não tinha o bônus pela vitória.
A tendência, porém, é que Amanda possa ser mais reconhecida a partir de agora.

Relacionados

ESPORTES 3617501909452643737

Corredores do Poder

+ CORREDORES DO PODER

Instagram

WHATSAPP

WHATSAPP

Facebook

Publicidade

Publicidade
item
Wordpress